CANÇÃO EM POESIA

Mato Perso é um desses lugares em que a gente se embriaga só de olhar. em encostas vertiginosas como certos dorsos de mulher, vales cheios de promessas, cascatas que fazem respirar fundo.
Não bastasse toda essa magia, os parreirais espalham tapetes suspensos, convidando a voar numa viagem ensolarada.
Mato Perso é também Santa Juliana, com seus mistérios.
Uma vez pensei ter inventado um lugar com este nome de santa, para depois descobrir que ele existe.
Se não estava no meu inconsciente, a única explicação possível é de que foi o sopro de algum anjo: anjo, ensina um velho rabino, é nome que deveríamos dar ao que achamos que é uma estranha coincidência.
Por falar em anjo, a igreja de Santa Juliana é a única que tem o diabo no altar.
O diabo mesmo, não a sua rotineira efígie de dragão.
Mas não se assustem, não se trata de nenhum rito satânico.
O diabo está amarrado com toda a segurança, como se faz com os cães raivosos.
Com o cão acorrentado,
Mato Perso pode se considerar no paraíso.
Salames inesquecíveis, queijos macios e provocantes, pães um pouco menos que divinos, podem ser saboreados sem sentir o peso do pecado
Mas nada disso seria perfeito, não fosse o vinho.
Num lugar assim o vinho só poderia ter, como tem, o nome de Canção.
Um vinho que consegue levar para dentro dele toda a beleza e todo o mistério de Santa Juliana.
Um vinho honesto porque, não se esqueçam, o diabo está amarrado lá no altar, não desce até a cantina para profanar a pureza da uva.
Assim, pode-se beber um rústico de isabel e bordô e ter a surpresa de descobrir que há nele um sabor que não deve ser esquecido, sem falar em sua cor luminosa de rubi.
Na realidade, qualquer dos vinhos é cheio de virtude. No paraíso de Santa Juliana, não há o que discutir. É só escolher.
Texto de José Clemente Pozenato
Nossa história

A história dos Vinhos Canção começou bem antes de surgir o próprio nome: no ano de 1938, quando Antônio Basso, filho de italianos, começou a vinificar uvas às margens do Rio Farroupilha, na região de Mato Perso, interior de Flores da Cunha-RS. Na década de 70, por intermédio de seus filhos, José, Elias, Agostinho e Vitório Basso, a marca Canção foi criada. Valendo-se de uma forte tradição e de muito trabalho os irmãos juntaram-se e conquistaram cada pedaço do Brasil fazendo com que a marca ganhasse fama nacional e internacional. Ao escolher a marca Canção, o consumidor não adquire apenas vinho. Leva também a história de uma empresa que tem a responsabilidade de se manter como uma das maiores fabricantes de vinhos de mesa do país. Sinônimo de tradição familiar posta à mesa com a dedicação e o compromisso de fazer bons vinhos.

BAIXE AQUI O VÍDEO

Fone:
(54) 3026 - 6900
Endereço:
Mato Perso • 4º Distrito • Flores da Cunha • Serra Gaúcha • CEP: 95270-000 • Caixa Postal: 51
 Anterior  Todos Próximo